Willian

novembro 2016

Gilberto não é daqueles psicólogos que ficam só escutando você falar e te olhando com aquele olhar que você não faz a menor ideia do que significa. Também não fica apenas repetindo aquele mantra: “Aham… Aham… aham…” Ele faz da terapia um bate-papo o que deixa a gente bastante à vontade, como se estivéssemos conversando com um amigo que conhecemos já há bastante  tempo. Nem por isso deixa de nos mostrar o que precisamos ver e que, muitas vezes, nos esforçamos para desviar o olhar. Fiquei muito satisfeito.